Menu Fechar

Etiqueta: Sagrada Escritura

Padre Pedro Pruteanu – A Bíblia e a Santa Tradição

Relatório do debate entre ortodoxos e batistas
realizado em Chisinau, República da Moldávia,
no dia 30 de setembro de 2010.

Entre a Escritura e a Tradição não há nenhum conflito ou contradição. A falsa oposição entre as duas apareceu no século XVI, quando o protestantismo proclamou o princípio Sola Scriptura (Só Escritura), ao dizer que a Bíblia é a única fonte da doutrina, suficiente para a salvação. O Concílio de Trento, organizado por uma denominação também afastada da verdade, ao desejar combater o princípio herético Sola Scriptura, disse que há duas fontes da doutrina: a Escritura e a Tradição, ambas inspiradas, necessárias para a salvação e com a mesma autoridade. Por vezes, os ortodoxos seguiram esse ensinamento romano-católico, mas, na verdade, ele não corresponde totalmente à perceção ortodoxa, sobretudo no que diz respeito à conexão entre a Escritura e a Tradição[1].

Os erros católico-romanos, baseados numa tradição perdida, que já não estava mais fundamentada na doutrina dos apóstolos, mas na autoridade (e até personalidade) do papa[2], gerou uma série de afastamentos da fé da igreja primitiva, o que levou a interpretações opostas nas comunidades protestantes.

Bispo Kallistos Ware – “Como ler a Bíblia”

Nós acreditamos que as escrituras constituem um território coerente, divinamente inspiradas e humanamente expressadas. Elas outorgam a Deus a revelação de Si Mesmo, na criação, na encarnação no mundo, e em toda a história da salvação. Elas expressam a Palavra de Deus em linguagem humana. Nós sabemos, recebemos e interpretamos as escrituras de acordo com a Igreja e na Igreja. Nossa aproximação da Bíblia é uma forma de obediência.

Podemos distinguir na Igreja Ortodoxa quatro formas de ler as escrituras, denominadas

-Nossa leitura deve ser obediente

-Ela deve ser eclesiástica, junto com a Igreja

-Ela deve ser centrada em Cristo

– Ela deve ser pessoal