Menu Fechar

Etiqueta: história

Andrew Philips – PORTUGAL ORTODOXO: A ALMA DE PORTUGAL

As Nações do homem existem pelo que há de melhor no homem,
e são destruídas pelo que há de diabólico nele.

                                                                                                             John Masefield, Gallipoli.

 

Toda a nação passa por períodos de grandeza e períodos de declínio. Períodos de grandeza expressam o entusiasmo de uma nação e do seu povo por algum ideal e conhecimento espiritual, por alguma grande ideia. Nestes momentos a essência espiritual de um país, a alma do seu povo, torna-se aparente. Os períodos de declínio expressam a traição e perda desse ideal em favor de uma atração fatal e decadente: a paixão mundana por riquezas terrenas, território e poder, e a turvação dessa alma nacional e essência espiritual. Desta forma vários impérios, tanto antigos como novos, subiram e caíram, seja o Babilónico, o Egípcio, o Macedoniano, o Romano Ocidental, o Persa, o Romano Oriental, o Zimbabuense, o Mongol, o Asteca, o Inca, o Português, o Espanhol, o Mongol, o Chinês, o Otomano, o Austro-Húngaro, o Francês, o Britânico ou o Soviético. Olharemos aqui para essa grande ideia e ideal espiritual que a certa altura iluminou a alma de Portugal e do seu povo.

As características da Igreja Ortodoxa

AS ORIGENS DA IGREJA ORTODOXA

Jesus Cristo fundou a Sua Igreja através dos Apóstolos. Através da graça recebida de Deus no Pentecostes, os Apóstolos estabeleceram a Igreja por todo o mundo antigo. São Paulo fundou a Igreja de Antioquia; São Pedro e São Tiago, a Igreja de Jerusalém; Santo André, a Igreja de Constantinopla; São Marcos, a Igreja de Alexandria; São Pedro e São Paulo, a Igreja de Roma.

A Igreja Romana (ou Ocidental) separou-se da Verdadeira Igreja no ano de 1054, após alterar o Credo (o hino de Fé da Igreja) e erradamente afirmar a supremacia do Bispo de Roma (o Papa) sobre os outros bispos.

Afastando-se ainda mais das suas origens, a igreja Ocidental foi depois despedaçada numa miríade de seitas pela Reforma Protestante (hoje acompanhada por outras incontáveis recém-criadas “igrejas”, a maioria afirmando ser “baseada na Bíblia”). No entanto, na Grécia, Rússia, nos Balcãs, no Médio Oriente, e noutros lugares, a verdadeira Igreja Apostólica continuou a florescer, preservando a Fé de Cristo pura e inalterada. Hoje, esta Igreja é conhecida como a Igreja Ortodoxa de Leste (ou por vários nomes nacionais, tais como “Ortodoxa Russa”). É o refúgio para aqueles em procura da Verdade que é Cristo.